Prefeito, você trabalharia sem seus seguranças?

As unidades de saúde da cidade amanheceram sem segurança nas áreas de maior vulnerabilidade. Todos os vigilantes foram demitidos! Os trabalhadores da saúde reivindicam a volta da vigilância em ato que começou na escadaria da catedral e seguiu para a prefeitura!

No seu pacotão de cortes e precarização do serviço público, o prefeito César Souza Júnior (PSD) deixa as unidades de atendimento do município, a população e os trabalhadores em situação de risco.

Juliana, Ricardo e Sabrina, profissionais da unidade Novo Continente, contam que no seu local de trabalho antigamente havia dois vigilantes. “Aí já tiraram um vigilante há algum tempo. Agora não temos mais nenhum. Isso coloca os profissionais em situação de risco e desmotiva as pessoas que trabalham nas regiões mais desamparadas”

Corte de 28 milhões na saúde coloca população em situação de risco

Redução de 50,1% no repasse da prefeitura para a Secretaria Municipal de Saúde, entre abril a dezembro deste ano, começa a ser sentida pelo povo! A previsão é de paralisação do serviço odontológico nos últimos dois meses do exercício atual, interrupção na realização de testes laboratoriais e de doenças de investigação compulsórias a partir de outubro, esgotamento do estoque de leite especial a partir de outubro, interrupção da vigilância eletrônica nas unidades tornando-as mais vulneráveis do que já são, além de falta de medicamentos, materiais de enfermagem e higiene, entre outros impactos.

No dia 21 de março, um decreto (n° 15.903) do prefeito Cesar Souza Júnior anunciou um contingenciamento de R$ 364 milhões no orçamento de 2016, um corte de 22,76%. Nessa leva, a saúde municipal perdeu R$ 28 milhões, que, se somados aos R$ 10 milhões cortados em 2015, totalizam uma redução de R$ 38 milhões.

Os cortes refletem a gestão do prefeito César Souza Júnior (PSD) que diz não ter dinheiro para atender as necessidades básicas da população de Florianópolis e dos trabalhadores, mas sempre tem grana para os poderosos.

Moção de Solidariedade a Oaxaca

Professores que protestavam contra a ameaça de privatizar a educação e retirar direitos no Estado de Oaxaca, México, foram durante reprimidos no último dia 19. Foram 6 mortos pelas balas da Polícia Federal e dezenas de feridos. Essa violência é inaceitável e repudiada pelo Sintrasem! Confira a nota completa abaixo:

Ao Sr. Presidente da República do México Enrique Peña Nieto

É inadmissível a repressão policial ocorrida no Estado de Oaxaca, no último 19 de junho. Além de dezenas de feridos, 6 pessoas foram mortas por participar do legítimo movimento dos professores e estudantes, em defesa de seus direitos e reivindicações, contra os ataques à educação. E isto foi feito pela Polícia Federal! Pela Polícia que o senhor dirige e ordena!

Ataque à previdência é mais um da longa lista do Prefeito! Vamos, unidos, barrar toda retirada de direitos!

O Projeto de Lei  1.560/2016, tramitando atualmente na Câmara Municipal de Florianópolis, é mais um na imensa lista de ataques da prefeitura da cidade contra a população, o serviço público e os servidores municipais. Com a desculpa de “reequilibrar” as contas, fazendo malabarismos fiscais, o projeto mexe na previdência dos trabalhadores, sem qualquer diálogo ou consulta. A solução para o suposto rombo na previdência, no entanto, é bem simples: o prefeito tem de pagar o que deve! Na gestão de Cesar Souza Júnior, já são 7 parcelamentos do dinheiro da aposentadoria dos servidores - um por semestre, gerando uma dívida em torno de 340 milhões de reais.

Não pagar o que deve vem se tornando especialidade do prefeito: não pagou o acordado e está devendo a segunda parcela do Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) do civil nem o reenquadramento das auxiliares de sala, conforme tinha se comprometido a fazer durante a greve dos trabalhadores públicos municipais. 

Confira na integra o Projeto de Lei na Câmara de Vereadores de Florianópolis (CMF) que ameaça a previdência: http://migre.me/ubZxZ

Fique de olho em nosso Resumo Semanal de Notícias

Toda sexta-feira enviamos para a base em formato de boletim uma seleção de notícias com a qual pretendemos trabalhar para a nossa formação, acompanhando o momento político e nos inteirando sobre a realidade.

Os veículos de comunicação comerciais trabalham pelos seus próprios interesses como qualquer outra empresa. Acontece que o jornalismo se vende como isento mesmo quando é usado pelos patrões para fazer negócio! Isso faz com quê os jornais vendam ideias que muitas pessoas consomem como sendo informação pura.

Muitas vezes os jornais fazem isso de forma disfarçada, selecionando quem vão entrevistar, para quem darão mais espaço nas notícias ou simplesmente sonegando informações importantes para a compreensão global do assunto tratado.

A bomba foi anunciada pela Prefeitura! Nós estamos preparados: não vamos pagar a conta!

Em entrevista para a imprensa, o secretário da Fazenda, Planejamento e Orçamento, André Bazzo, anuncia a nova ofensiva contra o povo de Florianópolis. Um pacote de medidas que inclui a reforma na Previdência e a demissão de até 350 trabalhadores da Comcap como parte de uma reformulação da companhia num projeto privatista.

Para o jornal Hora de Santa Catarina, Bazzo chama o ataque aos trabalhadores e ao serviço público da capital de “remédio amargo, mas necessário”. Necessário mesmo é entender para onde está indo as verbas desta Prefeitura que não paga o plano de carreira dos trabalhadores, o fundo de previdência do município e as contas da Comcap. César Souza Júnior (PSD), cadê o nosso dinheiro?

Esta é uma pergunta difícil de ser respondida contando que o executivo esconde as contas públicas da própria população. O Portal da Transparência da prefeitura, exigido por lei federal, existe apenas de fachada. Não disponibiliza a maioria dos dados vitais para se entender onde é gasto o dinheiro do povo.

AGENDA

terça-feira, Julho 12, 2016 - 17:00
Local: Terminal de Integração de Canasvieiras - TICAN
Ato contra calotes, em defesa dos direitos, pelo cumprimento do acordo coletivo! Prefeito, pague o que deve!

terça-feira, Julho 12, 2016 - 08:30
Local: Auditório Rosa Luxemburgo - Sede do Sintrasem (R. Fernando Machado, 203)
Reunião Conselho Deliberativo PMF, 12/7, 8h30 às 17h. EM PAUTA: Informes; Ataques do Executivo; Plataforma eleitoral 2016; Formação “Previdência”; Descumprimento Acordo Coletivo de Trabalho; Encaminhamentos.

quinta-feira, Julho 7, 2016 - 17:00
Local: Terminal de Integração do Rio Tavares (TIRIO)
Ato contra calotes, em defesa dos direitos, pelo cumprimento do acordo coletivo! Prefeito, pague o que deve!

SINDICALIZE-SE!

Acordos coletivos de trabalho

PMF   COMCAP

Boletins Eletrônicos

Selecionar o(s) boletim(s) que você deseja assinar ou cancelar a assinatura.

                 

CUT