SOBRE AS MESAS DE NEGOCIAÇÃO DA DATA-BASE PMF

Nesta semana a comissão dos trabalhadores se reuniu com a prefeitura em mesas de negociação sobre educação, saúde, previdência e administração.

A próxima mesa está marcada para o dia 27/04. No dia seguinte, (28/04), o Conselho Deliberativo dos trabalhadores da PMF se reúne para avaliar as propostas apresentadas pelo Executivo e o andamento da Data-Base.

Dinheiro público é para os serviço público! Venceremos!

Trabalhadores da Comcap deliberam estado de greve

 

Em Assembleia Extraordinária na manhã de hoje, os trabalhadores da Comcap decidiram pelo estado de greve devido ao agravamento da situação financeira da empresa, que ameaça direitos sociais e trabalhistas. Estão atrasados os encargos do INSS, FGTS e Comcaprev, além de pagamentos para fornecedores, o que gera milhões de reais em dívidas da Comcap.

Em resposta à mobilização da categoria, a empresa entregou ao sindicato um ofício em que se compromete em sanar parte das dívidas até o fim deste mês.

Foi encaminhada uma nova assembleia para o dia 6 de maio. Caso a direção da Comcap não apresente os comprovantes de pagamento do passivo até lá, o indicativo é de greve por tempo indeterminado.

15 de abril: paralisação nacional

O Sintrasem convida todos os trabalhadores da Comcap e da PMF para se somarem à mobilização nacional do dia 15 de abril, próxima quarta-feira.

Convocada pela CUT e outras centrais sindicais, a mobilização pretende unir a classe trabalhadora na defesa dos seus direitos, que estão fortemente ameaçados com a aprovação do PL 4330, projeto que permitirá a tercerização indiscriminada tanto no setor privado quanto público.

As centrais sindicais convocoram, nacionalmente, uma paralisação. No entanto, como a convocatória chegou apenas na sexta-feira (10), não houve tempo suficiente para a organização junto à base. Dessa forma, o Sintrasem integra o ato em defesa dos direitos da classe trabalhadora a partir das 16h e convoca todos aqueles que tiverem disponibilidade para se somarem à luta. 

Além disso, a partir das 07h30, os trabalhadores da Comcap estarão reunidos em Assembleia para discutir os impactos do PL 4330 e o descumprimento, por parte da Prefeitura, do Acordo Coletivo de Trabalho.

 

SME desperdiça dinheiro com avaliações externas

 

O Sintrasem vem a público informar que a PMF fechou no mês de março dois contratos, um com a Fundação Carlos Chagas e outro com a Universidade Federal de Juiz de Fora para criação de um sistema de monitoramento e avaliação da educação infantil e do ensino fundamental e para a elaboração e aplicação da prova Floripa (somente para as disciplinas de português e matemática).

Os dois contratos vão custar aos cofres públicos R$5.463.198,79 de reais. Isso é um total DESPERDÍCIO DE DINHEIRO PÚBLICO, visto que, a Rede Municipal de Educação (RME) já é avaliada pela própria Secretaria Municipal de Educação (SME) segundo critérios nacionais definidos pelo MEC, assim como, a prova Floripa, desde 2007, é elaborada e aplicada (todas as disciplinas) pelos próprios profissionais da RME, sem nenhum custo extra para o município. Além disso, todo ano é aplicada na RME a Provinha Brasil e a Prova Brasil, que são mecanismos de avaliação aplicados pelo MEC, também sem custos extras para a PMF.

AS APOSENTADORIAS DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE FLORIANÓPOLIS CONTINUAM EM RISCO

 

A partir do ano de 2015 o Fundo Financeiro não conseguirá arrecadar o suficiente para pagar as aposentadorias. Isso implica que o Executivo Municipal terá que aumentar sua alíquota de participação (hoje a PMF contribui com 14% e o servidor com 11%). E em seguida poderá aumentar a alíquota dos ativos. Relatos de conselheiros do IPREF apontam que a situação está se agravando mais pelo fato do prefeito Cesar Souza Jr. não estar pagando devidamente a parte patronal, apelando para sucessivos parcelamentos da dívida patronal com o Fundo Financeiro e também com o Fundo Previdenciário.

Sobre a Data-Base PMF

Nesta semana a diretoria do Sintrasem está em roteiro nos locais de trabalho fazendo o debate sobre conjuntura, apresentando a pauta de Data-Base 2015 e nosso jornal político. A primeira mesa de negociação está marcada para o dia 13/04 (segunda-feira), às 17h, onde serão tratadas todas as cláusulas pertinentes à SME. O Secretário de Educação Rodolfo e o Secretário de Administração Gustavo Miroski estarão presentes. O calendário das outras mesas será entregue no dia 13/04.

Não à precarização do trabalho! Não ao PL 4330!

 

O ano de 2015 iniciou quente para os trabalhadores. Como um presente de natal atrasado (mas não menos importante), o Governo Federal lança um pacotaço de medidas contra classe trabalhadora para driblar a crise econômica que vem se aprofundando. Neste pacote estão as Medidas Provisórias (MPs) 664 e 665 que alteram as regras de direitos historicamente conquistados pelos trabalhadores, ao custo de muita luta, como seguro-desemprego, abono salarial, seguro-defeso, pensão por morte, auxílio-doença e auxílio-reclusão.

A justificativa é de que é preciso conter gastos e corrigir distorções. Neste processo, quem paga a conta são os trabalhadores. Afinal, somos todos nós que sentimos no bolso o aumento absurdo da taxa de luz, da gasolina e dos altos preços dos alimentos. É a classe trabalhadora que sofre com a falta de saúde e educação de qualidade.

Prefeito Cesar Souza Junior organiza desmonte da Comcap

 

Temos alertado os trabalhadores, desde 2012, das intenções do Prefeito Cesar Souza Junior de privatizar a Comcap. As formas de provocar o caos na Empresa passaram por várias táticas diferentes, tais como: mudanças sucessivas na direção da Empresa, sendo esta utilizada como moeda de troca política; não pagamento de fornecedores, em especial de peças e materiais. Enfrentamos estes ataques com nossas mobilizações, principalmente durante a data-base 2014/2015.

Neste momento, a principal forma de atacar a Empresa pública é a de deixar rolar as dívidas previdenciárias, trabalhistas e pagamento de equipamentos. A Comcap está deixando de repassar ao Fumpresc cerca de R$ 5.750.000,00 (cinco milhões e setecentos e cinquenta mil reais) tanto da parte patronal quanto da parte dos funcionários, da qual a Empresa tem descontado, mas não tem repassado para o Fundo.

Assalto no CRAS da Trindade expõe insegurança nos locais de trabalho

 

O Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), da Trindade, foi assaltado à mão armada na última terça-feira (23) por volta das 11h30. Trabalhadores e usuários foram rendidos e presos no banheiro da unidade.

Lembramos que a cláusula 40º da pauta da Data-Base 2015 trata justamente sobre "Trabalhadores da Assistência Social" e exige: a) Hora Extra para Assistência Social; b) Risco de vida para todos os trabalhadores, incluindo readaptados; c) Criação de cargos alinhados com o SUAS; d) Vigilância presencial em todos CRAS; e) Contratação de Assistentes Administrativos para administrarem o CadÚnico.

Certificado de Seminário do PNE está disponível no Sintrasem

 

O Sintrasem informa que o certificado de participação no Seminário "PNE e seus desdobramentos na Rede Municipal de Ensino" já está disponível e pode ser retirado na recepção do sindicato. Lembrando que a exposição da professora Cláudia Piccinini, da UFRJ. foi gravada e pode ser assistida na íntegra. Os links estão disponíveis em nosso site: http://migre.me/pexxT

Terceirizações no setor de obras da Prefeitura afetam condições de trabalho

 

O setor de obras da Prefeitura é o que mais sofre com as sucessivas terceirizações em favor das empreiteiras. A usina de asfalto do Rio Tavares está entre o pouco que sobrou. Talvez por isso o local de trabalho esteja abandonado pela administração municipal.

Localizada ao lado da Pedrita, no sul da ilha, a usina produz asfalto frio para recuperação das ruas da cidade. São cerca de vinte trabalhadores divididos em dois turnos, responsáveis tanto pelo serviço de rua quanto de produção na usina. Independentemente do local, dois graves problemas são enfrentados diariamente: contato com produtos químicos e exposição intensa à radiação solar.

Sintrasem repudia a absurda "lei da Bíblia"

 

Na semana passada foi promulgada no Diário Oficial da prefeitura a lei n. 9.734/15, que obriga todas as bibliotecas da rede pública e privada de ensino a exporem, em locais de destaque, três versões da Bíblia: em texto, áudio e braile. O autor do projeto aprovado é o vereador Jerônimo Alves (PRB), que é pastor da Igreja Universal. A medida chegou a ser vetada pelo prefeito Cesar Souza Junior após a aprovação na Câmara, mas os vereadores derrubaram o veto, impondo uma lei inconstitucional à população.

O Sintrasem repudia e lamenta profundamente pela iniciativa do vereador fundamentalista. De acordo com artigo 5º da Constituição Brasileira, de 1988, o Brasil é oficialmente um Estado laico. Ou seja, deve adotar uma postura neutra no campo religioso, não apoiando ou descriminando qualquer crença. Deve defender a liberdade de credo a todos os seus cidadãos e não pode permitir a interferência de correntes religiosas em assuntos políticos e culturais.

Março é mês de Imposto Sindical; Sintrasem devolve aos trabalhadores

 

Todo mês de março é descontado da folha de pagamento o valor correspondente a um dia de trabalho. Essa imposição vigora no Brasil desde a década de 40 e foi instituída pelo governo de Getúlio Vargas.

Independentemente do setor econômico ou se é do serviço público ou da iniciativa privada, todo trabalhador sofre com o impacto desse desconto em sua folha, sempre no mês de março de cada ano.

Os patrões – no nosso caso, a Prefeitura – são obrigados a promover o desconto de seus funcionários. Não é uma opção. Esse valor, depois de descontado, é remetido à Caixa Econômica Federal, por meio de uma guia de recolhimento paga pelos RHs. A Caixa, por sua vez, faz a partilha do dinheiro: 60% é destinado ao sindicato da categoria, 15% para a Federação, 5% para a Confederação, 10% para Central Sindical e 10% para o Ministério do Trabalho (aplicado no FAT – Fundo de Amparo ao Trabalhador).

A atual direção do Sintrasem e a CUT sempre foram contra a cobrança deste imposto. Entendem que é direito do trabalhador escolher se quer contribuir para um sindicato ou não. E essa opção se faz por meio da filiação à entidade e o desconto mensal da contribuição.

SME lança Diretrizes Curriculares de forma arbitrária

 

Diante da arbitrariedade da Secretaria Municipal de Educação da PMF, o Sintrasem encaminha o ofício ao lado. Clique para lê-lo na íntegra.

Acesse a pauta da Data-base 2015 aprovada na última Assembleia!

Aprovada na Assembleia Geral dos Trabalhadores da PMF na última quarta-feira, 18, a pauta da Data-Base 2015 já está atualizada e disponível em nosso site. Acesse aqui: http://www.sintrasem.org.br/sites/default/files/pdf/Pauta_da_Data-base_P...

Aprovada a pauta de reivindicações para a data-base 2015 da PMF

 

Na tarde desta quarta-feira (18/03), os trabalhadores da Prefeitura Municial de Florianópolis se reuniram em assembleia para discutir e aprovar a pauta de reivindicação deste ano. A presença da categoria foi massiva, enchendo a praça Tancredo Neves. Após a aprovação, os trabalhadores marcharam até o gabinete do prefeito César Souza Júnior, na rua Tenente Silveira.

Até sexta-feira a pauta da data-base 2015 será atualizada, formatada e disponibilizada no site do Sintrasem para consulta de toda a categoria.

Dinheiro público é para o serviço público! Venceremos!

ABAIXO AS MPs DE DILMA! ABAIXO O PL 4330! PETROBRAS 100% ESTATAL E VOLTA DO MONOPÓLIO DO PETRÓLEO!

 

O Sintrasem/CUT convida os trabalhadores(as) de sua base para aderirem ao ato público chamado pela CUT, demais centrais sindicais e movimentos sociais no dia 13/03, a partir de 14h, no largo da Catedral Metropolitana em Florianópolis.

A CUT deve lutar por:

1)     Rejeição das MPs 664 e 665. Defesa da Previdência e de todas as conquistas trabalhistas e sociais.

2)     Estabilidade no emprego. Estatização sob controle operário de toda empresa que ameaçar demitir em massa.

3)     Petrobras 100% estatal sob controle operário. Restabelecimento do Monopólio estatal do petróleo. Eleição de comissão de controle operário com poder de fiscalização e demissão de diretores e gerentes corruptos.

4)     Estatização de todas as empreiteiras corruptoras sob controle operário

5)     Estatização de todos os bancos que desviaram dinheiro, fraudaram ou ajudaram a fraudar o Fisco e acobertaram dinheiro do narcotráfico e contrabando, a começar pelo HSBC.

6)     Reajuste mensal dos salários de trabalhadores e servidores de acordo com a inflação.

7)     Revogação imediata do fator previdenciário e das Reformas da Previdência de FHC, Lula e Dilma.

8)     Revogação de todas as desonerações tributárias em particular sobre a folha de pagamentos.

9)     Reestatização sobre controle operário do setor elétrico, das telecomunicações, reestatização da Vale do Rio Doce e de todas as empresas e Serviços Públicos privatizados.

10)  Estatização das universidades que recebem dinheiro público.

11)  Não pagamento da Dívida Interna e Externa!

Viva o Dia Internacional das Mulheres!

O SINTRASEM tem na sua linha de frente, em grande maioria, as mulheres trabalhadoras da PMF e da COMCAP. Uma força fundamental nas lutas da categoria.

Temos muitas batalhas a ganhar e a participação das mulheres fará toda diferença neste processo, porque é na vida das mulheres trabalhadoras que a opressão e a exploração promovidas e estimuladas pelo capitalismo têm a sua maior expressão.
A mobilização pelos direitos das mulheres deve ser parte de um movimento de massas, não só do proletariado, mas de todos os explorados e os oprimidos, de todas as vítimas do capitalismo e de qualquer outra forma de escravidão.
Lutamos pelos direitos específicos da nossa categoria, de toda a classe trabalhadora e pela construção do socialismo, pois não pode haver emancipação de oprimidos numa sociedade capitalista.

A luta pela Hora Atividade do magistério: contra qualquer retirada de direitos

 

A luta por melhores condições de trabalho e reconhecimento da carreira do magistério passa pela Hora Atividade, uma conquista consolidada a partir de muita mobilização e que continua sendo pauta permanente de nossas reivindicações.

Antes da Hora Atividade os profissionais do magistério, além de trabalhar o dia inteiro em sala de aula, tinham que abrir mão dos finais de semana e do horário de descanso noturno para fazerem seus planejamentos, corrigir e elaborar avaliações, registrar o cotidiano escolar, dentre tantas outras tarefas que a profissão demanda e que não acabam quando sua jornada diária nas unidades educativas foi cumprida.

Com a implementação da Hora Atividade, conquistou-se o espaço dentro da jornada de trabalho para que estes profissionais possam organizar as tarefas pedagógicas, além de ter garantido o tempo para formação e qualificação do seu trabalho.  

Chico Lessa, presente!

No dia 28 de fevereiro, a classe trabalhadora perdeu o grande companheiro Francisco “Chico” Lessa, 58 anos. Um dos advogados trabalhistas mais brilhantes do país, fundador do PT, da CUT, advogado do Movimento das Fábricas ocupadas e de dezenas de sindicatos.

Nota pública do Sintrasem sobre a atuação de advogados na COMCAP

 

Os trabalhadores da COMCAP têm o direito de buscar e contratar livremente os advogados que lhes representarão em litígios contra a empresa. Entretanto, o SINTRASEM alerta sobre a atuação de advogados mal intencionados que ostensivamente assediam empregados da companhia.

 

Eles atacam e nós respondemos: vamos ampliar a luta pela COMCAP 100% pública

A direção da Comcap voltou à mídia para culpar os trabalhadores e o Sintrasem pela situação da Empresa, que atravessa períodos cada vez mais críticos com atrasos na coleta e parte da frota parada na oficina. 

Sintrasem contesta Secretaria de Educação sobre portaria da Hora Atividade

A partir da chegada da portaria 005/2015, que trata da hora/atividade do magistério, o Sintrasem se posiciona oficialmente para a Secretaria Municipal de Educação.

Bases descentralizadas do SAMU estão sucateadas pela prefeitura

 

Quando alguém em Florianópolis disca 192 em seu telefone, os trabalhadores do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) logo têm de preparar suas ambulâncias para socorrer mais um caso de emergência. 

Abaixo as MPs 664 e 665!

No fim da tarde desta quarta-feira o Sintrasem realizou um ato com panfletagem contra o ataque aos direitos dos trabalhadores orquestrado pelo governo Dilma. O ato, que aconteceu no TICEN, faz parte do Dia Nacional de Luta por Emprego e Direitos, 

Trabalhadores do SAMU denunciam falta de investimentos da prefeitura

Na manhã de hoje, os trabalhadores do SAMU se organizaram para denunciar o descaso da prefeitura com o serviço. Junto aos diretores do Sintrasem, distribuíram panfletos para a população em frente ao TICEN e à prefeitura. .

 

Prefeito, os trabalhadores do SAMU exigem respeito!

Em 2015 o SAMU — Serviço de Atendimento Móvel de Urgência — de Florianópolis completa dez anos de sua implementação. Infelizmente, os trabalhadores do SAMU tem muito mais para reivindicar da prefeitura do que comemorar.

AGENDA

quarta-feira, Maio 6, 2015 - 07:00
Local: Limpú
Pauta: Informes, avaliação da situação financeira da Comcap e resposta da direção, deliberação de greve.

terça-feira, Abril 28, 2015 - 08:30
Local: Auditório Rosa Luxemburgo (Sintrasem)
Pauta: Informes; análise de conjuntura; data-base 2015; encaminhamentos.

quinta-feira, Abril 23, 2015 - 14:00
Local: Auditório Rosa Luxemburgo (Sintrasem)
Pauta: Situação do Fundo de Previdência Municipal.

Formação

TV SIntrasem

Boletins Eletrônicos

Selecionar o(s) boletim(s) que você deseja assinar ou cancelar a assinatura.

A Vida Não É Reciclável

CUT

Simulador de aposentadoria Servidor Público

Acordos coletivos de trabalho

PMF   COMCAP

SINDICALIZE-SE!